quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

A pedido da consciência, para pessoas especiais

A consciência pediu-me que escrevesse um post "verdadeiro e profundo", porque de facto, ao fim deste tempo todo, ainda não me apresentei ao mundo... e a vocês. Sou uma miúda que tenta ter piada, gozar com a vida para que ela não goze comigo, e tenho conseguido, confesso. Tenho um grande orgulho nesta minha "arte", uma vez que me dizem muitas vezes que tenho a capacidade de alegrar e aligeirar um ambiente sem parecer demasiado idiota. OBRIGADA. Sou também alguém a quem pequenos pormenores importam e que, parecendo muito forte, não o é tanto assim. Ou melhor, corrigindo, sou-o apenas quando é preciso. Aí, nessas alturas do "chegar, vir e vencer" qualquer acontecimento indesejado, transformo-me numa rocha. Impenetrável, irreconhecivel, inexpressiva. Quando a tempestade passa, sou de novo areia fina que corre com o vento e vai para ele a leva. Aproveita as marés. "I'm strong at the surface, not all the way through...", qualquer coisa como isto. E não, não sou perfeita, longe disso. Tenho o chamado feitiozinho de merda, com um orgulho 500 vezes maior que eu. E não mudo de opinião facilmente, o que assusta muita gente. E quem mexe com o que quer que seja da minha família, mexe comigo e irá preferir não o ter feito. Não viro as costas a um bom desafio e muito menos a uma boa gargalhada, franca, espontânea, verdadeira. A "criança" dentro de mim é demasiado evidente. Quem me conhece bem, chega lá até pelos meus olhares... que isto quando surge uma oportunidade de pregar uma boa partida a alguém, os olhos brilham e o sorriso não deixa o canto da boca. E estou a aprender...estou a aprender que partilhar pensamentos e "coisas da vida" é bom, alivia e não tem que tornar-se publico por causa disso. Torna-se "do grupo", que é como quem diz "da família do coração". Estou a crescer. E a ficar ao mesmo tempo para sempre criança. Há quem goste da combinação. Outros não. Mas o feitio directo e por vezes "frio" que eu tenho ajuda a enfrentar os que não gostam e a proteger os que gostam. Mais importante que isso: EU gosto. De mim. De vocês. De NÓS! Porque existimos e brilhamos! OBRIGADA!

1 comentário:

Raquel disse...

:) minha querida Sara.. Como gostava de conseguir comentar à altura! Porque na assertividade com que falas confirmas cada palavra.. "Sou assim e não me venham cá com coisas! Quem não gostar gostasse!" é bom poder levantar um bocadinho mais o véu sem ser através de expeculações e deduções..

Eu gosto muito de quem tu és! E acho que acima de tudo és verdadeira! És verdadeira contigo, és verdadeira com os outros.. Não é difícil derrubar a barreira inicial.. Basta compreender-te um bocadinho.. Dar umas gargalhadas em conjunto! Ler nas entrelinhas..

Adorei o post.. E acho que me posso orgulhar, sem ser presunçosa, de ser eu a consciência, a mecenas que o motivou..:)

Espero que, devagarinho, vás dando passos cada vez mais seguros nisso de "partilhar coisas só tuas"..:)

Espero deixar em ti uma lembrança tão doce como a que deixas em mim!

Beijinhooo:D*
Gos'tiiii!!